domingo, 15 de agosto de 2010

Domingo


Nada como uma bela manhã de domingo,
Ao mesmo tempo que tenho os sorrisos das nostalgias,
Algumas lembranças custam a ir embora.
Mas hoje não vou ser o poeta,
Hoje não vou ser eu.

Os cantos e os mantras,
Os pontos e as mantas,
Os tontos e as antas,
e a insônia.

As vozes não se calam,
Elas ultrapassam as paredes,
Elas não param!

As fotografias também não param,
São hiperativas e elétricas,
As fotografias não se calam!

Mas hoje não sou eu,
Hoje não sou poeta.
Hoje sou a última folha seca a cair,
A última gota de tinta borrada na carta,
O último dente de leite num sorriso sincero,
E o último abraço nosso,
Que insiste em não sair do meu pensamento.

Fechei os livros e fui dormir,
Ou minha alma foi.
Afinal,
Nada como uma bela manhã de domingo.

14 comentários:

Juliana disse...

Olááá!!! gosto mto do seu blog! o poema é simplismente lindo!!! parabéns!!! adoro posts assim!!! Nada como uma manhã de domingo!

www.julyritmoquente.blogspot.com

Bjoks da Júh!

Rosana :) disse...

Uau,me arrancou um suspiro.

Que perfeição a forma como voce escreve.Grande,grande poeta!

;) um abraço

Sófia Heller disse...

Gostei dos seus textos. Blog muito original. Seguindo.

luiz scalercio disse...

bellissimo poema
gostei muito do que
vc escreve e muito
interessante prbns.

pâற Gαяdєи disse...

Um ótimo poema, parabéns!

Juliana disse...

Olááá!! olha eu aqui de novo.. dessa vez pra dizer que te indiquei pro selo **este blog é um charme** olha la no meu

www.julyritmoquente.blogspot.com

Bjoks da Júh!

Hannah Tobelém disse...

Insonia realmente traz muita inspiração. E seu blog é fantastico. Parabens!

ϟ lauk! disse...

me identifiquei (:

nadadoraquaboy@hotmail.com disse...

gostei do poema! muito bom!

Mari disse...

Adorei muito esse seu poema. Meus parabéns!

Carol Freitas disse...

Bonito. Inteligente. Necessário. Arte ;)

Um abraço.

Vanessa Santos disse...

Lindo poema!Adorei seu blog!

Vanessa Santos disse...

Retratou bem o domingo!

http://mardeletras2010.blogspot.com/

Graziela. disse...

Posso falar ? Simplismente lindo esse poema,cativante.