terça-feira, 12 de julho de 2011

Tribos Urbanas I - O individual e o coletivo


É certo que gostos parecidos atraem-se, como ideologia, música, etc.. Mas percebi que existe um grande paradoxo na sociedade de hoje.
Tribos urbanas são grupos feito de pessoas que tem sua ideologia formada, que seguem principios rigidos determinados por eles. Estes principios por vezes são imorais ou até ilegais, perante a sociedade, os costumes e as leis. E independente do que qualquer cidadão comum acredite, eles seguirão os "mandamentos" regulados por tal grupo. É exatamente o que acontece com a religião.
As pessoas buscam uma tribo ou um grupo social para firmarem-se individualmente. Portanto, o indiviual faz-se mais seguro junto de pessoas que compartilham o mesmo pensamento, o coletivo. Assim sendo, podemos dizer que o coletivo e forte por ter várioas pessoas que pensam e agem da mesma maneira.
Agora que já entendemos como funciona uma tribo urbana, podemos fazer a segunte pergunta: Porque tanta descriminação?
Existem pessoas que gostam de se vestir de maneira socialmente comum, pessoas que gostam de ir a Igreja, trabalham, estudam e gostam de levar uma vida tranquila e pacífica. Chamaremos elas de conservadores dos bons costumes.
Do outro lado, existem também pessoas revoltadas com o meio social, e decidem banalizar ou agredir a sociade, seja com seu visual, ou música, ou filosofia. Estes chamaremos de liberais. São pessoas que de algum modo querem se destacar do comum.
A ideologia gótica, por exemplo, usa um visual sombrio, as vezes mórbido, as vezes vampírico, para realmente chocar a sociedade, pois que - agora uma opinião particular - a simples existencia, como fazem os conservadores, de ter menos ambições ou vontades que uma planta, não faz sentido algum. Nascer, crescer, reproduzir-se e morrer. Não interferir em politica ou algo algum para melhor a própria vida ou a sociadade, e as vezes pior, o que faz é só criticar, mesmo sem saber do que está falando.
Não estou aqui recalmando pelo mal que falam ou pensa dos góticos, mesmo porque a intenção é essa, diferenciar-se do comum. Portanto, o que venho lhes apresentar aqui é um sentimento nobre que a muito não vejo: respeito.
Respeitar diferenças, porque, independente ideologias, filosofias, crenças religiosas, opções sexuais, e tudo que nos individualiza, no fim somos só pessoas, todas iguais, querendo satisfazer o próprio ego.
Todas as pessoas tem preconceitos. O que não é necessário é torna-los publicos. Guarde seus preconceitos pra você.

11 comentários:

Fernanda disse...

Olha, Guilherme, não quero guardar preconceitos nem pra mim - prefiro jogá-los fora em área de lixo tóxico. :-) Rejeições a outrem nada mais são que uma faca de bandeirante, aquela que abria caminho na marra em mata cerrada. Resquícios de selvageria, ímpeto de defender-se antes de ser atacado. Nada como a civilização. :-) Beijos e sucesso!

Karla Hack dos Santos disse...

Tanta busca por uma identificação que o respeito fica de lado...
Seja por medo, por ignorância, por rivalidade... O preconceito se aconchegou.


Belo post!

;D

neh.etc disse...

bom eu particularmente não acredito em um grupo de pessoas que concorde em tudo igualmente, seria tedioso ser assim fosse,
é fácil viver com um grupo de pessoas que concordam e apoiam seus pensamentos e ideais seus gostos e desgostos enfim a ideia do individualismo sumiria e voltaríamos aos tempos antigos onde só o a vida em grupos era valorizada?
eu prefiro ser diferente e conviver com pessoas diferentes de mim não me incomoda nem um pouco
não to dizendo que não tenho preconceitos pq eu tenho tem coisas que eu não vou citar mas que ao meu ver parecem muito toscas, mas nem por isso eu vou sair agredindo todos que gostem de tais coisas eu tenho amigos que acham bizarro meu modo de vida e nem por isso eles se afastam de mim pq o que importa é o que eu sou e não o que eu uso, ouso, sigo ou como não sei se eu viajei muito da sua logica
p.s gostaria que você respondesse a minha pergunta que fiz um pouco mais acima aqui no seu blog mesmo, eu volto a acessa-lo ta bom bjs.

Garcez disse...

tb tow preparando um texto sobre respeitar as diferenças...

mas vou enquadrar outros temas tambem... se der vou colocar umas referencias suas... e claro vou acrescentar os devidos creditos

abraços

.
www.ouvindoparalamas.blogspot.com
.
.

Lucas D.F. disse...

aplausos em pé...
muito legal teu texto...
http://meninos-cor-de-rosa.blogspot.com/

Rejane Ferreira disse...

Olá!

Gostei muito do texto, bem verdadeiro o que vc disse!
Parabéns pelo blog, tb é mto legal.
Passa lá no meu depois pra ver o que acha!
http://rejane-ferreira.blogspot.com/

Um Abraço. =)

Marcus Alencar disse...

Infelizmente, guardar os preconceitos dentro de si é um desafio quase que impossível para o ser humano tão habituado a julgar e muitas vezes executar quem se diferencia dos padrões da sociedade.

Seu Silva, o zelador fiel. disse...

TODOS TEMOS LIBERDADE DE EXPRESSÃO. ISSO É CONSTITUCIONAL. SÓ QUE TEM PESSOAS QUE ABUSAM.
UM EXEMPLO É A EDUCAÇÃO ATUAL NO BRASIL:
MUITOS PAIS QUEREM QUE SEUS FILHOS TENHAM BONS PROFESSORES, MAS NÃO QUEREM QUE SEUS FILHOS SEJAM PROFESSORES.

TEM POSTAGEM NOVA NO BLOG. PASSA LÁ.
http://ozeladorfiel.blogspot.com/

France Câmara disse...

é, todos temos o direito de decidirmos o que vamos ouvir, com quem vamos andar, e os nossos gostos. Cabe as pessoas terem bom senso e deixarem de ser preconceituosas!

http://apaixonadasporcosmeticos.blogspot.com

blogtatudodominado disse...

Gostei do blog já estou seguindo, da uma passadinha no meu?

www.blogtatudodominado.com

E.A. disse...

Falo para o Guilherme a para todos que por aqui passarem.
O combustível para o desenvolvimento da sociedade, ao menos um deles, é o respeito às diferenças. Não somos todos iguais, apesar de pertencermos todos à raça humana. Temos uma constituição bio-psico-social que aponta para nossas singularidades. Até aqui, tudo bem...
Então vem os rótulos que enquadram pessoas em isso ou aquilo, e acabam descaracterizando ou desconsiderando alguns aspectos - talvez justamente os que não poderiam ser deixados de lado. Então a pessoa isso não se relaciona com a pessoa aquilo, a pessoa isso tem ideologia x, enquanto a pessoa aquilo tem ideologia y... e isso se aplica à opção sexual, religiosa, espiritual, política, filosófica, existencial... E nascem os preconceitos dos juízos pré-concebidos. Automaticamente, no pacote, vem discriminação, preconceito e desrespeito - quase que intimamente ligados.
Na minha opinião, que compartilho, mas entendo que para muitas pessoas não seja assim entendido, somente a ética é capaz de provocar algumas rupturas de paradigmas. Somente assim poderemos viver e conviver com as diferenças. Mas isso não tem nada a ver com o politicamente correto, que nos diz que temos que ter um comportamento de manada, de gostar disso ou não ter preconceito com aquilo. Buscar compreender e respeitar são coisas TOTALMENTE diferentes de ser conivente ou passivo frente algumas situações.

Bem, disse muito e não disse nada?
Registra aí então o meu não ao preconceito, à discriminação, ao desrespeito.

E viva as diferenças.