quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Altruísmo e egoísmo - O poder de escolha


Primeiro vamos definir os termos:

Altruísta é aquele pessoa que gosta de ajudar o outro. Numa escolha entre sentir-se feliz e deixar o outro feliz, ele prefere a segunda opção.
Já o egoísta prefere a primeira. Ele não se preocupa em ajudar o outro, mas também não é uma pessoa de má índole. Ele apenas se coloca sempre em primeiro lugar.

Não quero remeter meus caros leitores a clássica discussão filosófica sobre a natureza do homem, se nasce mau ou bom, de Hobbes e Rousseau, isso faço em outro post, mas aqui queria descrever minha reflexão sobre o que influência nossas escolhas.

Antes disso ainda tenho que dizer umas coisas, que certamente farão algumas pessoas pararem de ler por aqui.
Acredito que nós, seres humanos, somos dotados do poder de escolha, esse poder se dá pelo exercício do livre-arbítrio. Se você acredita que está tudo escrito e pré-estabelecido em algum lugar, ou algum "livro da vida", por favor não leia mais esse post, porque você não compreenderá meu raciocínio, e peço que ao invés de ler este texto, leia "O que é Esclarecimento?", de Immanuel Kant, um dos maiores filósofos da história. Depois que se esclarecer, volte aqui e termine de ler.

O que determina a escolha, é a satisfação que aquilo te trará.
Acredito que o ser humano seja egoísta por natureza. Sempre nos preocupamos com nós mesmos primeiro. Antes de ajudar alguém, temos que ter certeza que estamos bem. E isso não é uma regra moral, não foi nos ensinado, isso é uma regra natural, instinto de sobrevivência.
Agora você deve estar se perguntando: então por que existe tantas ONGs e projetos filantrópicos? - ou pensando - Não isso não é verdade, eu sempre penso primeiro nos outros.

O altruísmo já é um sentimento diferente. O homem não nasce altruísta, ele aprende a ser. O homem é obrigado a seguir uma certa conduta dentro das instituições, como família, escola, igreja e etc., e essas instituições é que lhe dão a base para uma vida social.

Entendemos até aqui que o homem nasce egoísta, e o seu meio social, principalmente a família, que é a primeira instituição social que ele tem contato, molda-lhe de um jeito que ele consiga viver em sociedade.
Entretanto, algumas famílias não tem uma formação forte e rígida para ensinar os novos tripulantes desse nosso mundo, e acaba que eles são mal preparados para a vida social, e é dai que surgem pessoas emocionalmente desequilibradas, e que fazem as tantas loucuras que vemos nos jornais.
Também não posso colocar total culpa na família. Existes pessoas que já nascem com um "gênio ruim", e que é difícil de se moldar. Geralmente essas pessoas vão amadurece no inicio da fase adulta. E se amadurecer.

Portanto, o que determina nossas escolhas é a que trará satisfação para nós mesmos.

13 comentários:

Yuri Brah disse...

No final das contas, é exatamente: 1 - a visão deturbada de satisfação da pessoa ou; 2 - a visão correta demais da sociedade perante alguns hábitos; que causam o Caos humano.
Ter dois lados na moeda nunca foi tão inconveniente.
Muito bom o texto!

Jaqueliny Euzébio disse...

Sempre acreditei que o egoísmo e o altruísmo andam de mãos dadas. Não sei se acredito que é possível erradicá-los em uma só pessoa.
No meu ponto de vista, uma pessoa pode agir de várias maneiras diferentes em determinadas situações. Não há uma constância, somos variáveis. Oscilamos muito. E entendo isso como algo completamente natural.


Gostei do seu texto.

Nicelle Almeida disse...

Olá, meu caro!
Muito bem escrito o seu texto, vc sabe expor bem o que vc pensa. Porém, tenho que dizer que não corcordo com algumas de suas idéias. Acho essa questão muito relativa e acredito sim que muitas pessoas pensam nos outros e fazem o bem ao proximo mesmo quando nem tudo está um mar de rosas em sua propria vida.
Respeito sua forma de pensar e deixo aqui a minha.
Um forte abraço!
www.nicellealmeida.blogspot.com

Fernanda Ribeiro disse...

Concordo plenamente. É claro que nós temos nossas escolhas, do contrário não seria necessário viver já que já estaria tudo predestinado! ótimo texto.

♥ Evelin Pinheiro ♥ disse...

Concordo com o que vc disse; O homem não nasce autruista, ele aprende a ser!
Verdade!
Pq nascemos egoistas, tanto q nossa primeira fase, de acordo com a Psicologia, é a do EGO, do eu, o mundo gira em torno de nós.
Mas creio que temos um pouco de cada. Ng é uma só coisa. Ng é só bom ou só mau.

BeijO Gui, passa lá!
http://evesimplesassim.blogspot.com/

Gabriela. disse...

Concordo em partes.
Penso que o altruísmo nada mais é que uma forma egoísta.
Pensando pela minha linha de raciocinio as pessoas fazem o "bem" para SE SENTIREM bem.
Ajudar nada mais é que consequencia.
Óbvio que tem toda a questão social de "fazer o bem sem olhar a quem" .. mas na maioria das vezes SE FAZ o bem para SE SENTIR bem..

Amei o blog

http://naohaespectativas.blogspot.com

Moa disse...

Elucidativo e instrutivo.
Muito bom.

Phillip soares disse...

adorei muito bom post !

piadascomfritas disse...

eu particularmente sou mais altruista que egoista.. mas percebo isso como um defeito. nao uma qualidade...

Lií disse...

O_O

Todo homem tem um pouco de altruísmo e de egoísmo, quem nunca se deparou com uma situação que fosse necessario pensar somente em si?
Competições no mercado de trabalho ^^


http://garotalii.blogspot.com/

lucass repetto disse...

Prender-se a conceitos totalmente e unicamente existencialistas é o que limita grande parte da população a melhorar e sentir prazer nesta evolução moral que tanto necessitamos neste globo.

Egoísmo vem como base de extinto animal (que fo-somos), mas o altruísmo é algo que apenas com desprendimento e prática conquista-se.

Anônimo disse...

Penso como o lucasxs repetto - nascemos egoístas e isso está em nossas veias como a mais forte das drogas. A (grande) maioria do ser humano se faz de altruísta quando sente necessidade de enganar o próximo... Se assim não fosse o mundo não estaria passando fome... paupérrimo moral e espiritualmente.
Há sim, porém pouquíssimos, homens que trabalharam uma grande batalha interior e conseguiram a custo de muita reflexão, se sentir altruísta: Francisco de Assis, Chico Xavier, Gandhi, Madre Tereza, Luther King, etc. Mas, infelizmente esses são poucos e não conseguem mudar o mundo. Suas filosofias ficam, porém, os homens egoístas não querem se interessar por elas.

Zinho de Moraes disse...

Concordo com Lucass Repetto - o homem é um animal egoista. Quanto mais ele cresce em riqueza e poder, mais dificuldade terá para agir com altruísmo. Obviamente ajudará os seus próximos, mas, os bem próximos mesmo, não creio que por altruísmo, talvez por egoísmo... por precisar de uma maneira ou de outra desses próximos. Mas, mesmo esses próximos poderão um dia ser descartados.