quinta-feira, 15 de agosto de 2013

A escolha de acreditar no invisível


De muitas maneiras podemos acreditar no invisível. Como acreditamos em Deus, na sorte, no destino, entre outros. Defino invisível como, não somente o que não se vê, mas algo não presente neste plano, e, portanto, intocável. Acreditar em algo que não se vê, para alguns é fácil, mas para muitos outros é bastante difícil. Quem, em um primeiro momento, deixou de lado suas crenças para procurar uma verdade na ciência, física, ou filosofia, talvez não mais volte a acreditar no que não se pode ver.
Não quero, neste texto, discutir a pura e simples religião. Pretendo colocar o foco na força da fé que algumas pessoas têm em algo invisível, que ela não esta vendo, mas acredita, tem fé que irá tornar-se real.
Recentemente li alguns livros que falam sobre este assunto, mas estes eram voltados a aspectos da vida, realização de sonhos, algo assim. O ponto principal era a força do pensamento. Um desses livros pedia para acreditar que o que eu quero já era meu, em um plano invisível, e que quando acreditasse que recebi o que quero, logo receberia no plano físico. Mas, como acreditar em algo que pela minha vida aprendi que não poderia acontecer? Acreditar, por exemplo, que, como quero receber R$ 1.000,00, e me imagino recebendo o dinheiro, e por um lado fico feliz e esperançoso por isso, mas meu lado racional esta “gritando”: como irei receber por algo que não trabalhei em algum lugar específico para receber, ou que algum conhecido irá simplesmente me entregar R$ 1.000,00? Então, como acreditar em algo, não digo impossível, mas muito improvável de acontecer? A resposta sempre é “tenha fé, confie e acredite”. Agora, como aprender a ter fé? Se alguém aí souber, por favor me ensine.
O ponto é, do jeito que você leva sua vida agora, você acredita que é a vida que imaginou? Esta realmente feliz? Se a resposta for sim, ótimo, continue assim. Agora, se for não, temos que entender que algo não esta está dando certo, e corrigi-lo. Temos que mudar. Mas como? Começamos pelo pensamento, mudar a maneira de pensar. Isso mesmo, novamente voltamos ao “pensamento positivo”, pois é o pensamento é fácil de mudar, dizem. Em outro livro, o autor disse “se não esta satisfeito com sua vida, te convido a seguir meus conselhos, pois se continuar do jeito que está, somente vai ter “mais do mesmo”, ou seja, não vai a lugar algum, e se você me seguir, poderá conquistar o que conquistei (o autor é multimilionário), e muito mais.

Abrir uma brecha para a fé o pensamento positivo em uma mente cheia de pensamentos racionais? Não será fácil, mas se eu ficar rico, eu aviso vocês. Quem está comigo?
Um conselho: leia o livro “Os segredos da mente milionária”. Excelente livro.

3 comentários:

Marcela Melo disse...

Ai! Me desculpe a ousadia... não faço ideia se é seguidor de alguma religião mas seu texto ficou meio "teoria da prosperidade"...
Eu li o livro "Os Segredos da Mente Milionária" e, apesar de refutar alguns (muitos) pontos, percebi que em suma o texto base é: SAIA DA INÉRCIA. A pessoa que fica a vida inteira com pensamentos negativos, só acumula para si negativismo, essa é praticamente a lei da relatividade, aquilo que você busca, você atrai...
No entanto SÓ o pensamento positivo não muda nada.Tipo, se eu me deitar na minha cama e pensar "vou ganhar mil reais" não vai resolver... eu vou ficar a vida lá, deitada. O que eu entendo pelo pensamento positivo é: "meu esforço vai valer a pena" então eu vou estudar, trabalhar, procurar coisas do meu interesse e como recompensa vou ter algum retorno. Isso que vejo como a máxima de alguns livros, investir em nós mesmos, com a positividade de conseguir, não apenas esperar que nossos ideais caia do céu.

abraços...

http://mmelofazminhacabeca.blogspot.com.br/

Rodolfo Soares disse...

As vezes a fé no invisível é o único motivo de determinadas pessoas ainda acreditarem na vida, acho que nessa parte essa crença se torna válida.

Abração!
Rodolfo Soares
http://umguardalivros.blogspot.com.br/

Almir Ferreira (Panorâmica Social) disse...

Se fosse assim, as pessoas de fé estavam todas ricas, correto?
Não vejo a menor vantagem, a menor que seja, naqueles que alcançaram uma mente racional, voltar atrás, para uma infância mental, para se agarrar numa esperança vã no sobrenatural.
Na verdade eu sugeriria que as pessoas pudessem alcançar cada vez mais o racionalismo crítico, em vez de uma fé no invisível.
Grande abraço.