terça-feira, 15 de novembro de 2011

A fonte de incredulidade


No princípio o homem acredita que tudo era dádiva ou castigos de um poder superior. A chuva, a seca, a fome, a boa colheita, tudo vinha dos céus. Até que uma corrente filosófica começou a estudar a natureza, e seus fenômenos. Logo descobriram que tudo se desencadeava de maneira simples e lógica, não precisando nenhum poder sobrenatural.
Essa corrente de pensamento, quecomeçou na Grécia por volta do século V A.C., estudava a essência de todas as coisas, a ligação homem - natureza.
Naquela época e região, o povo era politeista, acreditavam em vários Deuses, como a mitologia grega e nódica nos ensina. Mas por volta do século IV D.C., junto com a queda do Império Romano, foi instaurada a Igreja Católica, que fundamentava seus dogmas em relatos feitos por pessoas que conheciam e as vezes conviveram, com um certo messias, Jesus Cristo.
Embora, e evidentemente, eu não possa provar, acredito em uma teoria que para mim é a mais razoavel em torno da história de Cristo e o livro sagrado Católico: são contos fantásticos.
Mantenham a calma senhores fanáticos, religiosos e conservadores dos bons costumes. Não estou dizendo que isso não existiu. Não estou dizendo que Cristo não era tão superior quanto ele foi. Mas temos que concordar em três pontos - e se eu estiver errado, gostaria de pedir que me explicassem o porque, mas claro, partindo da lógica, não do "achismo", tudo bem? - e são eles:

1) Vivemos em um mundo real: A física e suas leis regem a vida terrena. Leis de Newton, da gravidade, por exemplo. Pois bem, naquela época, não tinham todo esse conhecimento sobre a física, logo, precisam fantasiar sobre um, como diria Nietzsche, o "Übermach", um ser, ainda humano, mais superior aos demais, um virtuoso.

2) Os povos eram politeistas: A uma pessoa que acredita que raios são a fúria de um Deus, e a boa colheita é um presente do Céu, esperar que algo lógico saia de sua mente é pedir demais, não é?! E agora, pensemos: de que maneira se pode instruir um povo leigo, para ter o controle deles e de suas terras? Contamos à eles a verdade sobre os estudos físicos, filósoficos, politicos e ciêntificos, ou, criamos uma história em que um super-homem nasce e renasce, anda sobre as aguas, multiplica pães e cura doentes? E que, esse mesmo homem diz ser filho de um único Deus, que devemos seguir ordens, porque, apesar de ele ser extremamente paz e amor, sua ira e amão da justiça pesará contra os incrédulos e infiéis...?

3) Massa de manobra: Era o fim do Império Romano; o país em guerra, fome e carnificina. Era extremamente viavel que os paises se pacificarem. Mas precisariam de um bom plano. Então o estágiario diz:
- Senhor, que tal pegarmos aquele homem com toda sua alma filantrópica e de bom coração, e fazermos dele um super-homem?

Assim nasce o Cristianismo e a Igreja Católica. O Império Romano ruiu. A invasão Barbara. Divisão das terras em feudos. E assim começou a Idade Média, também conhecida como a "Era das Trevas". É assim chamado os mil anos em que a Igreja Católica constituiu poder maior que os homens, e maior que o Estado. Você deve estar se perguntando o porque de "Era das Trevas", não está?! Não é contraditório uma religião basea em Cristo, um homem até então bondoso e cheio de amor para com o próximo, ter tão má reputação de uma hora para outra?
Acontece que a Igreja Católica estabeleceu um "poder monarquista", bem parecido com o do rei,só que divino. Ela elaborava e aplicava as leis. E quem fosse contra a Igreja, ou blasfemasse, ou pensasse por si só em filosofia e ciência, eram cassados, assim como Copérnico e Galileu; e as vezes até quiemados em fogueiras em praça publica, assim como as "bruxas".
- "O tilintar de uma moeda no fundo da caixa, libera uma alma do purgatório". - Essa frase foi dita por um bispo, no filme "Lutero", o precurssor da Reforma Protestante. Embora tratar-se de ficção, ilustra bem minha opinião sobre o que acontecia na época, e claro, baseado nos livros dos que viveram lá.
A Igreja Evangélica começou com Lutero, em meados do século XV D.C.. Ela, baseando no Evangelho de Cristo, o inicio do Catoliscismo, a base do Cristianismo, funda uma religião que tras de volta a paz e o amor proferidos por Cristo. Nesse mesmo tempo a filosofia voltava à ser o centro das atenções: agora ela se ocupava não mais com a essência da natureza, mas com a do homem e Deus.
Assim a sociedade foi se dividindo entre católicos, protestantes e ciencistas, filósofos ou céticos. Sobre a sociedade de hoje, vou deixar para o próximo post.
O que me fez escrever esse texto, foi a idéia de que como o homem muda, e como muda o mundo. Como as instituições nascem boas, e como o homem as corrompeem. Estou disposto a crer em o "lobo do homem", de Hobbes. O homem é egoísta por natureza.
Agora queria deixar alguns pensamentos no ar: primeiro, eu não sou dono da verdade, nem quero tal responsabilidade. O que quiz fazer nesse texto é mostrar que precisamos pensar por nós mesmos. Se você tem uma dúvida, seja sobre religião, ciência, poítica, entra outras, não pergue para quem sabe, ou acha que sabe... Prefira aprender sozinho, vá atrás, estude, pesquize,chegue a sua própria conclusão, e depois, aí sim, discutir com amigos e professores é importante e necessário.
O segunto ponto que eu queria deixar claro aqui, é que minha intenção não é te levar a acreditar no que acreditoe muito menos fazer você deixar de acreditar no que você acredita. A culpa de você não se interessar pelos estudos não é totalmente sua. Foi a sociedade, o meio que o fez assim. Para a política é interessante manter o povo sem conhecimento, para assim ser mais facil de manipulá-lo.
Terceiro ponto: eu não sou católico e não sou evangélico, caso pensem que estou favorecendo uma Igreja e discrimando outra. Sobre a Igreja Protestante e seus dizimos absurdos cobrados para queimar cartas na "fogueira santa"; onde os pastores ficam cada vez mais ricos e os fiéis cada vez mais pobres, pretendo discutir sobre isso em um proximo post, este já deu uma idéia do que quero dizer com "pense por si mesmo".
Portanto, uma dica: estude!

8 comentários:

Flávio P. Reis disse...

Bem... a gente sabe que é preciso respeitar o tempo de cada um, de cada despertar individual.
Mas de fato, 'não buscar' pode ser bem conveniente. Restringe a responsabilidade e serve de desculpa para futuras decepções com 'Deus'. Quando na verdade essa decepção vem baseada numa fé cega -sem base- e que faz a sociedade deixar-se levar, preguiçosa, para as religiões mais vantajosas, para seus interesses materiais.
Mas isso também terá seu preço...
Ótimo post, Guilherme.
Abraço!

Jajá disse...

Sua colocação é interessante, mas discordo quando vc diz que "O homem é egoísta por natureza"... Pelo q sei todo ser humano nasce puro, ou vc conhece algum bebê egoísta? Quando nascemos não sabemos distinguir o bem e o mal... Adquirimos durante o decorrer da vida os dois lados da moeda, e escolhemos ser bom ou ser rum, ou ser as duas coisas... Bom, acho q é assim q funciona... Posso está errado...

abraço!

www.jaylsonbatysta.blogspot.com

Caroline disse...

realmente, o homem corrompe tudo. O homem que aceita a sociedade como ela é, de acordo com aquilo que lhe é conveniente é o mesmo homem que questiona o que não lhe convém. Para mim, não há como mudar o que está instituído, pois nós mesmos aceitamos e discordamos em alguns pontos, mas o questionamento daquilo que existe traz o engrandecimento do ser. Da alma. As questões, sempre.

Gostei muito do post, é sempre bom pensar, discutir, refletir.

Pamela Lima disse...

Anaximandro - acreditava que - tudo que é criado é finito, mas o que vem antes e depois tem de ser iNfinito.

Temos diversas teorias, que nos leva a diversas direções, mas ninguém pode dizer que tal teoria é certa.
Porque a verdade não conhecemos, e quem sabe aquela teoria mais patética pode ser a verdadeira.

Eu sou por completo cética, acho bonito que filosofem, que pesquisem, que estudem.
Mas nada do que eu venha a conhecer forma uma posição a qual eu me sinta a vontade.
A dúvida é um importante preceito cético.


Gui adorei o texto!
vou guarda a postagem do 'dízimos'.

BeijoOOs ^^

http://www.paminblog.com/

Bruna Morgan disse...

"Prefira aprender sozinho, vá atrás, estude, pesquize,chegue a sua própria conclusão, e depois, aí sim, discutir com amigos e professores é importante e necessário"

O caso é que confundem O Criador com a religião.
Muitas pessoas dizem que é um assunto que não há como discutir. "Discutir religião é como discutir sobre futebol".
Entretanto esse assunto pode ser amplamente explorado e compartilhado. Não há assunto indiscutível.
Existe, porém, pouquíssimas pessoas que procuram sobre isso e que estão dispostas a falar.

Heein, estou fazendo outro sorteio de livro e um ipad2 no meu blog, participa?
http://bruna-morgan.blogspot.com/2011/11/promocao-ainda-nao-te-disse-nada-de.html

E fiz uma página no facebook, caso você tenha, há como curtir o meu blog? A opção está na coluna lá do meu blog, vou ficar MUITO feliz *o*

Alan disse...

Sempre gosto de seus posts, são muito bem trabalhados, mas quanto a alguns pontos gostária comentar, concordo plenamente que muitas igrejas usam cristianismo para ganhar dinheiro, assim como algumas pessoas usam música. O problema é que tais igrejas não sabem com o Que estão brincando. Segundo, de fato existem leis naturais, assim como as judiciais e de transito. Mas não precisamos ser genios para compreender que toda lei que existe um dia foi decretada, os filosofos e fisicos simplesmente descobriram algo que já existia, como a inércia e gravidade, agora quem decretou essas leis é um outro assunto que um cientista chamado Adalto Lourenço explica até bem, e um grande escritor, C.S. Lewis, trata do mesmo assunto.

by. Allex Castro disse...

Em primeiro lugar FELIZ NATAL... Aeww, obrigado pela visita e por estar seguindo meu blog, estou retribuindo a visita e seguindo o seu tb... Agora questionando o que o "Jajá" disse a respeito do ser humano nascer puro ( "O homem é egoísta por natureza"... Pelo q sei todo ser humano nasce puro, ou vc conhece algum bebê egoísta? )tenho q discordar da visão dele, pra mim uma criança só não tem consciência completa do que ele sente o que acaba o tornando "puro" afinal de contas se você "peca" mas não sabe que é "pecado", então vc não pecou! -q assim pra mim são com as crianças, acho que a coisa mais comum q existe no mundo é vc ver uma criança egoísta, acho inclusive q praticamente todas são, é só reparar. Bom de qualquer forma parabéns pelo blog e pela postagem. ^^'

Heitor Falcão disse...

Concordo com quase todo o seu post, não tenho religião nem acredito em deus, vejo como uma série de sucessivos fatos históricos o desenvolvimento da igreja, das religiões e suas crenças. Somente discordo quanto ao pessimismo do homem corromper as instituições, o ser humano sendo mau pela própria natureza. Acredito que todos temos coisas boas e ruins, alguns, poucos, por um motivo ou outro, acabam por tendo o mal sobressaindo em si. Valeu o post, causa muita reflexão.

Feliz Grav-Mass

www.heitor-falcao.com